quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Ampliar o repertório imagético da criança. O que isto significa, de fato?

Primeiro vamos ao conceito “repertório imagético”: significa que devemos estimular as crianças a conhecerem novas imagens para que elas possam formar seus pensamentos. Isto acontece desde a mais tenra idade, antes mesmo do aparecimento da linguagem. Só conseguimos formar imagens a partir daquilo que conhecemos de fato, ou seja, do concreto.

Portanto, vejo algumas práticas nas famílias, ou mesmo nas instituições de ensino, que merecem alguma atenção. Observo alguns desenhos que não condizem nem um pouco com algo concreto, por exemplo, árvores com rosto, frutas com pés, bocas, braços, figuras geométricas com caras para ensinar formas, enfim, existem vários desenhos desse tipo espalhados em brinquedos, jogos e livros infantis.


Minha crítica é justamente sobre esses desenhos que vêm em jogos e em brinquedos, e que não condizem com a realidade. Se quisermos estimular as crianças a ampliarem seu repertório de imagens devemos partir do concreto, do real. Ninguém consegue formar a ideia do que seja um abacaxi se não conhecer, de fato, o que seja esta fruta na realidade. Muitos educadores vão dizer: “ mas onde entra a formação da fantasia infantil?” Pois bem, fantasias são algo irreal, ensinamos assim por muitos anos, mas eram outros tempos. Hoje, contamos com tecnologias super poderosas onde podemos ver imagens que antes não tínhamos. E trabalhar com imagens que formarão pensamentos, estas devem ser feitas a partir ─ sempre ─ do concreto. Não esperem que uma criança pequena consiga formar imagens do nada. Nem nós, adultos, conseguimos formar ideias e pensamentos do nada! Imagine, então, uma criança que está começando a formá-las em sua mente. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário